Páginas


2

July Thereza...


Estudante de letras e futuramente de jornalismo,
July Thereza a garota de grande potencial no mundo das fanfictions, concordou em dividir conosco um pouco de sua vida como escritora de historias do TH... Curiosas? Que tal acompanhar abaixo essa entrevista?





Gossip: Diga-me algo sobre você...

July: Bem, tenho 17 anos, quase 18. Faço faculdade de Letras e mais para frente pretendo fazer jornalismo. Gosto de ler desde os meus 11 anos e comecei a escrever com 15 anos. A primeira fic que escrevi foi uma one-short do Harry Potter, na época era bastante fã. Depois escrevi algumas sobre Naruto e agora estou mergulhada no mundo do TH, comecei a escrever fanfics do TH com 16 anos. Também escrevo um livro e ainda continuo lendo muito, não apenas por causa da faculdade, mas sim, como eu disse anteriormente, porque eu gosto e muito.

Gossip: O que inspirou você a começar a escrever fanfics do TH?

July: Bem, eu já conhecia fanfics sobre vários outros assuntos, mas sempre sobre personagens completamente fictícios, e não pessoas reais como são os TH. Um dia, num fórum que já nem existe mais, eu comecei a ler as fanfics do TH, me lembro que comecei pelas fics da Mary Marchi e amei, aí então, comecei a ler todas que me interessavam.

Gossip: De onde você tira suas idéias?

July: Às vezes é do dia a dia, sonhos, ou até mesmo alguma fic que eu li e me fez ter aquela determinada ideia. Mas acredito que seja mais com o dia a dia, as coisas que acontecem comigo ou que eu imagino que poderiam acontecer me dão uma enorme criatividade e eu consigo colocar isso no papel.

Gossip: Você começa com uma única idéia e aumenta a partir daí ou você já sabe de toda a história antes de começar?

July: Sempre quando começo a escrever uma fic tento já pensar em como irei desenvolver o início dela e como será o final, depois, no decorrer da escrita, vou criando algumas complicações para que cheguem naquele determinado final. Mas também já mudei o final de algumas, então acredito que o mais difícil seja o início e as complicações... E o final.

Gossip: Como você classifica o seu trabalho?

July: Tento dar o meu melhor e sempre tento escrever de acordo com o que eu acho correto, regras de gramática e tal, mas sempre tem alguma falha, mas ninguém é perfeito. Classificaria o meu trabalho como a tentativa de passar alguma coisa, não é só o que eu escrevo que vale, mas sim também o que acontece ou poderia acontecer e como a pessoa se sente lendo o que eu escrevo. Gosto muito de opiniões, críticas e dicas, acredito que isso me ajuda a crescer e melhorar na minha escrita. Penso em nunca desistir, por mais difícil que esteja de escrever, às vezes dou um tempo e consigo voltar a escrever ou às vezes sou obrigada a dar um tempo porque preciso conciliar a faculdade, coisa que também não é fácil. Acho que sou boa até, mas me pego lendo o que escrevi e encontro cada coisa que me faz pensar, 'uau, eu progredi', 'nossa, eu escrevi isso?'. Tem dias que eu fico surpresa comigo mesma.

Gossip: Qual foi a primeira fanfic que você leu?

July: A primeira fic que eu li foi uma do Harry Potter, não me recordo qual foi. Mas as primeiras fanfics do TH que li foram as da Mary Marchi.

Gossip: Você tem algum tipo de ritual para escrever as histórias?

July: Tenho vários! Escrevo sempre ouvindo música, tomo leite com toddy na maioria das vezes para continuar acordada e escrevo sempre a noite, quando tudo está mais calmo e silencioso. No caso da escrita, funciono melhor a noite. Escrevo toda noite, nem que seja uma única linha antes de dormir.

Gossip: Como você age quando bate aquele bloqueio na hora de escrever?

July: Não fico desesperada, mas fico meio amuada... Tento ler o que escrevi antes para ver se voltam as ideias, ou então, tento ler alguma fic e ouvir música, sempre ajuda. Mas também tenho a minha beta-reader, ela sempre me ajuda com ideias. E se nada disso dar certo, dou um tempo, mas logo as ideias voltam e eu consigo escrever.

Gossip: Cite alguns de seus escritores favoritos de fanfic?

July: Hm, tem vários. Rafa Marcolin, Mary Marchi, Andressa (Andy), Anne L, Susi (diva). É, são essas.

Gossip: Dentre seu trabalho, qual sua personagem preferida?

July: Jane, da Hypnotized by Jane, uma mini-fic que escrevi no ano passado. Além de ela ser o que eu sonho em ser, jornalista, eu realizei nela tudo o que eu mais almejo, desde um trabalho no jornal mais famoso da Europa até encontrar alguém especial.

Gossip: Qual é o maior problema que você encontra para escrever?

July: Diria que é o tempo. Sempre quando tenho muito tempo, não consigo escrever, mas quando tenho pouco tempo, tudo sai que é uma beleza. Gosto muito de escrever, tem dias que chego a ficar com os dedos machucados de tanto escrever e, na maioria das vezes durmo pouco. Se pudesse, trocava o dia pela noite facilmente. Acredito mesmo que seja o tempo, mas tem vez que eu sei o que vai acontecer em certa fanfic, mas não consigo transmitir isso para o papel... Essa é uma grande dificuldade minha também.

Gossip: Algum autor em especial influenciou seu modo de escrever? Ou a inspirou de alguma forma?

July: Bem, o jeito que eu escrevo, em primeira pessoa, veio de vários livros que eu li. As crônicas vampirescas de Anne Rice, uma coleção que eu recomendo muito, diria que foi a minha maior influência em qualquer fanfic que eu já tenha escrito.

Gossip: Quanto tempo, em média, você leva para escrever uma fic?

July: Depende muito da fic e do que eu quero colocar nela... One-shorts eu já cheguei a demorar uma semana para concluir, mas fics grandes eu costumo demorar no mínimo um ano, também depende muito do meu tempo e de como vai surgindo a inspiração... Também de como eu passo para o papel, às vezes não consigo transmitir direito o que eu quero e acabo deixando de lado ou até mesmo reescrevendo como fiz com a Alien.

Gossip: Você tem algum conselho em especial para novos escritores de fanfic?

July: Leiam muito, quanto mais repertório vocês tiverem, melhor, mais idéias vocês terão. Leiam fics, livros e assistam TV, seriados, filmes, pois ajuda e muito... E por favor, saibam alguma coisa pelo menos das personagens que vocês usarão. Outra coisa também que eu me importo muito é quanto a escrita, a história pode até ser legal, mas se tiver muitos erros, muitos emoticons, acaba perdendo a graça e vontade de ler. Eu também adoro embelezar as minhas fics com capas, capa em cada capítulo e também procuro uma pessoa para representar cada personagem, adoro fazer isso! Penso que fica mais fácil de você transmitir a idéia para o leitor. Usem música também, fica super legal.

Gossip: Diga porque o leitor deve acompanhar seu trabalho...

July: Bem, eu sempre tento dar o melhor de mim, escrevo sobre coisas que eu gosto e assim consigo desenvolver melhor aquilo, se torna prazeroso para mim. De alguma forma, também espero que se torne uma leitura prazerosa. Em cada coisa que escrevo coloco um ponto de vista meu claro que não é nada perfeito, mas eu tento. Acho que isso é o que mais vale você tentar e não desistir. Escrevo porque gosto e sempre espero melhorar conforme vou escrevendo. Na maioria delas tento colocar coisas do cotidiano, que acontecem realmente com a gente, até mesmo na minha fic de vampiros, coloquei algo que nem é tão citado assim em livros. Tento ser original e não copiar ninguém, mas sempre tem alguma coincidência... Gosto muito de Tokio Hotel, muito mesmo e gosto de fazer as pessoas se divertiram, se distraírem lendo o que eu escrevo. Fico tão feliz com um 'continua' que seja. Acho que é isso.


Atualmente a Jully está postando suas fanfictions no Nyah e também no TH Brasil... Então é só escolher um destes sites e acompanhar suas fanfictions muito bem escritas eu devo confessar...

3

Dasty Sama


O nome dela é Danielly Stefanie... Autora de Angels Dont Cry, A Tocadora De Almas e Ich Liebe Dich - One Song For You... Mais conhecida também como Dasty Sama...

Danielly aceitou dar a primeira entrevista ao blog e eu estou muito grata a ela por isso... Agora que tal conhecer um pouco mais desta autora incrível de fanfictions do TH?




Gossip: Diga-me algo sobre você...

Dasty: Eu amo ler e escrever mesmo antes de aprender os dois. Eu vivia pedindo para lerem livros para mim e o único modo de eu escrever naquela época era através de desenhos. Quando aprendi os dois, não parei mais, ler praticamente era minha vida e eu criava livros o tempo todo. Mas foi com 12 anos que eu decidi ser escritora, então comecei escrevendo fanfic's do Harry Potter e depois parti para "livros". Tenho quatro livros terminados e acho que uns 20 que parei de escrever.

O que te inspirou a começar a escrever fanfic's do TH?

Dasty: Eu descobri o Tokio Hotel em Agosto de 2008, eu nunca tive loucura tão grande por uma banda, então logo já sabia muita coisa sobre eles. O que me inspirou a escrever fanfic's foi me imaginar conhecendo-os, eu tentava descobrir diversas formas de chegar até eles. Então um dia, eu percebi que todas essas historias que eu criei na minha cabeça poderiam virar uma fanfic.

De onde você tira suas ideias?

Dasty: Eu leio muito, assisto muitos seriados e filmes, além de eu prestar atenção em muitas coisas do meu dia-a-dia. As idéias simplesmente surgem do nada, em flashes, a qualquer momento. Outra coisa que curto muito colocar em fanfic é assuntos sobrenaturais.

Você começa com uma única ideia e aumenta apartir daí ou você já sabe de toda a história antes de começar?

Dasty: Eu nunca sei da história completamente antes de começar a escrevê-la, mas antes de eu começar a escrever, eu tento planejar na minha cabeça o começo e o final e também como serão os personagens. O meio é a forma que eu tento ligar o começo ao final de uma forma que dê certo, sem falhas. Mas muitas idéias surgem no meio da fanfic e podem sim influenciar o final e modificar algumas coisas.

Como você classifica o seu trabalho?

Dasty: Eu procuro fazer o melhor possível, mesmo que às vezes eu pense em disistir ou ache que não está bom. No começo, eu encarava apenas como uma brincadeira, uma tentativa de saber se as pessoas gostavam do que eu escrevia. Agora eu encaro como uma forma de eu aprender mais, afinal foram as fanfic's que me empenharam a escrever melhor não só para mim,como para todas as pessoas.

Qual foi a primeira fanfic que você leu?

Dasty: A primeira fanfic que eu li foi de Harry Potter, eu não sei qual é, por que eu lia muitas. Do Tokio Hotel eu só comecei a ler algumas depois de começar a escrever a minha, não tenho certeza qual foi a primeira, mas as que eu mais lembro foi In Die Nacht da Jully Thereza e a aquela fanfic da Luna da Alessandra.

Você tem algum tipo de ritual para escrever as histórias?

Dasty: Quando surge a idéia eu não passo direto para o papel, eu fico com ela na cabeça por alguns dias, analisando se é boa o suficiente. Então eu começo a pesquisar bastante sobre o assunto, ouço músicas para me sentir inspirada e a hora que eu mais gosto de pensar em minhas histórias é antes de dormir. Gosto de escrever ouvindo música e principalmente quando viajo para o interior, por que fico sem internet e me dedico mais a escrita.

Como você age quando bate aquele bloqueio na horade escrever?

Dasty: Eu fico estranha, querendo escrever, mas não sai nada. Então eu evito escrever e começo a ler ou assistir filmes, isso ajuda a me deixar inspirada. Claro que tem bloqueios criativos que demoram bastante tempo para sumir, mas logo depois eu volto com muitas idéias.

Cite alguns de seus escritores favoritos de fanfic...

Dasty: A minha escritora favorita é a Vee de Biology. Eu nunca gostei tanto de fanfic's pervertidas, mas quando comecei a ler a fanfic dela eu fiquei impressionada, por que apesar de ter sexo, a história é realmente boa e te prende. Tem muitas escritoras que investem tanto em sexo que se esquecem da história, do enredo. Outra coisa que gosto na Vee é o jeito de detalhar tudo, eu amo fanfic's detalhadistas por que se tornam mais reais.

Dentre seu trabalho, qual sua personagem favorita?

Dasty: Hedvig Nondenberg com certeza! Tanto a personagem como a história são baseadas em um livro que eu criei, por isso consegui escrever a fanfic e me senti inspirada praticamente o tempo todo. Hedvig é o tipo de pessoa que eu gostaria de ser, ela é determinada, forte, corajosa e mesmo que cometa mill erros, sempre está disposta a concertá-los.

Qual é o maior problema que você encontra para escrever?

Dasty: Inspiração e vontade. Se as duas coisas não estão juntas, não consigo escrever. às vezes tenho vontade, mas cadê a inspiração? e às vezes tenho inspiração e cadê a vontade?

Algum autor em especial influenciou seu modo de escrever? Ou a inspirou de alguma forma?

Dasty: Meg Cabot e J.K.Rowling. Com Rowling eu aprendi a detalhar tudo, desde cenários e roupas até personagens. Outra coisa que eu aprendi com ela é a pesquisar mais, não ir escrevendo palavras ao vento, tem que ter certeza do que se fala. Com Meg Cabot aprendi os sentimentos na escrita, como expressar o que o personagem sente e tentar passar ao leitor.

Quanto tempo, em média, você leva para escrever uma fic?

Dasty: Tudo bem, tenho que confessar que muito tempo mesmo. Eu escrevo dezenas de fanfic's, mas não publico a maioria por que não acho boa ao suficiente. Para eu escrever uma fanfic leva tempo e dedicação, tenho que criar a essência dos personagens e principalmente me sentir na história. Quero que as pessoas ao lerem, sintam a mesma coisa que eu quando escrevi.

Você tem algum conselho em especial para novos escritores de fanfic?

Dasty: Não tenham medo nunca. Geralmente, com a primeira fic você tem medo de que não gostem, mas se você não tentar, nunca vai saber. Tem que correr atrás, se dedicar, pesquisar e principalmente divulgar. Aceite os elogios e as criticas por que será isso que fará você melhorar seu trabalho.

Diga por que o leitor deve acompanhar seu trabalho...

Dasty: Nenhum escritor é escritor de verdade sem seus leitores. Posso não chorar enquanto escrevo as fanfic's, mas quando leio os comentários, então lá vêm as lágrimas. Acho que as pessoas deveriam ler minhas histórias por que acho que todos podem se indentificar com elas, até aquelas pessoas que não gostam de Tokio Hotel já leram e aprovaram. Se há um motivo para se escrever, é saber que pelo menos alguma pessoa gosta do que você escreve. Escrever não é um ato egoísta, é compartilhar com todos tudo que você pensa e sente, é mostrar através das palavras um pouco de nós.


Ficaram curiosas para conhecer o trabalho dela? Então que tal ir correndo até o Nyah e conferir... Eu posso garantir que não vão se arrepender...


E agora quem será a proxima entrevistada? Alguma sugestão?